Carta do Tio Léo #1: Parapente, amizade à distância e livro

Oi queridos, tudo bem?

Hoje é o último domingo do mês e, como prometido, é dia “da carta do tio Léo” – a primeira de muitas, eu espero. Janeiro também passou incrivelmente rápido para vocês? Para mim, voou, infelizmente. Preferia que tivesse dado uma arrastada para que eu pudesse fazer tudo que tinha planejado (não fiz quase nada). Ainda choveu o mês inteiro, o que fez com que eu passasse a maior parte do tempo em casa.

Comprei um voo de parapente no fim do ano passado e não tive a chance de usá-lo. Choveu sempre que liguei para marcar. Incrível. O tempo parecia melhorar, eu telefonava e começava a chover de novo. Fiquei até com medo de que fosse uma espécie de aviso do destino para eu não me arriscar. Mas… eu quero voar! E voarei, possivelmente, no mês que vem. Ansioso.

Enquanto isso não acontece, desfruto de outras alegrias. Um superamigo de São Paulo está aqui no Rio, e eu me divirto muito sempre que nos encontramos. Além disso, também planejo ir à Curitiba conhecer pessoalmente um amigo de anos pela internet (já tô de passagens compradas!). Não gosto do termo “amigo virtual”, porque ninguém é virtual. Somos reais, com sentimentos de verdade. A convivência que pode ser virtual. Só isso. Não vejo nenhum demérito, aliás. Sou muito mais próximo de amigos geograficamente distantes, com quem mantenho contato pela internet, do que outros que vivem perto de mim. Qualquer desmerecimento nesse sentido é uma grande bobagem. O que importa é a vontade das pessoas de estarem perto.

Eu e Filipe, de Sampa, aqui no Rio

Eu e Filipe, de Sampa, aqui no Rio

Quando era novinho, tive a chance de conhecer uma garota chamada Rúbia, com quem tive uma amizade intensa e efêmera. O pouco tempo que passamos juntos foi o suficiente para que ela me passasse um ensinamento: o mundo é grande demais para ficarmos presos em um único lugar. A gente tem que circular, conhecer pessoas. Há muita gente incrível por aí. Eu que não vou deixar de manter amizades verdadeiras e sinceras com pessoas encantadoras só porque estão distantes geograficamente. Bobeira! Contra isso, a gente dá um jeito 😉

Mudando de assunto, também há novidades sobre “Condenáveis”. Saíram mais quatro resenhas: no Palavras ao vento (“Foi triste observar os momentos constrangedores que o Leonardo vivenciou”), no Ponto Livro (“…o autor tem talento para narrativa”), no Enquanto Escrevo um Livro (“Me fez pensar tanto esta leitura. Ficou um pedaço da história aqui comigo”) e no Magia Literária (“Posso dizer que o livro mexeu muito comigo. Me identifiquei muito com os pensamentos de Leonardo”). O interessante é que os blogueiros também passaram por conflitos com os pais, então pudemos ter ótimas conversas via e-mail. É bom que, ao compartilharmos nossas experiências, nos ajudamos. Esse livro está me fazendo conhecer muita gente fofa!

Há mais resenhas para sair neste ano. Muitos blogueiros estão com o e-book para ler e já fiz uma pressão neles para que não se esqueçam. De qualquer forma, o ano está só começando! 2013 será ano de monografia da pós, de esboço do livro novo, de muita coisa boa. Vamos torcer 😉

Abraço,

Tio Léo

Anúncios

3 respostas para Carta do Tio Léo #1: Parapente, amizade à distância e livro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s