Série de entrevistas para cobrir a peça ‘Céu e Branca’

Bastidores da cobertura da peça 'Céu e Branca'

Tive que caminhar do ponto final do 434, no Leblon, até o Shopping da Gávea embaixo de chuva. Castigo para quem não presta atenção e toma o ônibus errado. Mas tudo bem. Foi um comecinho de noite ruim que logo mudou. Tinha marcada para hoje entrevistas com o elenco da peça ‘Céu e Branca’ (leia-se ex-atores de Malhação + a banda do Geral.com). Com meus pré-conceitos, lá fui eu.

Muito bem recebido por todos no teatro, comecei a conversar com os meninos da WWW, a banda. Pelas fotos, pareciam todos bem mais novos. Imaginei crianças de 12 anos. Uma vibe Mulekada melhorada pela Rede Globo. Mas o mais novo deles tinha 14 anos (embora eu ainda ache que ele tem cara de 12!) e o mais velho tem 18 e tá na faculdade e tudo. Os garotos são divertidos e zuadores, com exceção do dreadlocker (pois é, há um assim) que é caladão. As vezes, começavam a se sacanear até que se davam conta de voltar para a entrevista. Falavam muita besteira e tinham medo que eu anotasse-as. Virou a brincadeira: “Cuidado! Você fala, ele escreve!” Dei boas risadas.

Elenco com figurino do espetáculo

Depois veio Jéssika Alves, da última temporada da Malhação (que eu não vi). Uma fofa. Doce mesmo. Falamos sobre o fanatismo do público de Malhação, da galera que vai pra porta do Projac. Ela me contou que já recebia cartas quilométricas quando estava gravando as primeiras cenas, quandoa  outra temporada ainda estava no ar. Loucura. O povo é desses.

Depois chegou Pedro Nercessian (o mané do estaleiro) todo apressado, disse que quando precissasse dele era só gritar. Não gritei, óbvio. Mandei chamá-lo. E aí foram todos gravar um comercial para a televisão. Momento engraçado. As falas tinham que durar 12 segundos, mas eles estavam estrapolando o tempo. Despois de várias tentativas, desistiu-se: “Vamos editar”. E aí abriram o teatro para as pessoas entrarem. Pedro carregou eu e Thatiana – que estava de fotógrafa – para o camarim. Enquanto ele se arrumava, eu fazia as perguntas e tomava nota. O tempo correu e logo ele tinha que entrar em cena. Nos despedimos e fui assistir a peça.

No início, me irritei com as falas caricatas, cheias de gírias, porque me pareceram forçadas. Mas fora isso, a peça é ótima para adolescentes e pré-adolescentes, que realmente carecem de obras específicas para eles, que abordem temas de seu interesse e tudo mais. E a banda WWW não é ruim não, como se conclui naturalmente ao se falar de um grupo de meninos novinhos tocando. Pelo menos, em cena, mandaram bem sim. Se você quiser as matérias que escrevi sobre a peça, estão no Portal Plus Tv:

Jéssica Alves e Pedro Nercessiam estrelam ‘Céu e Branca’, uma peça para adolescentes

Banda WWW chega ao teatro e relembra o início da carreira

Responder a Série de entrevistas para cobrir a peça ‘Céu e Branca’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s