Eu tenho ingresso, só não tá comigo

Dia das crianças de 2002. Tinha certeza que aquele era o dia mais feliz da minha vida. Tinha acabado de sair do camarim de Sandy e Junior no Maracanã e não tinha chorado (minha mãe havia dito que eu ficaria horrível se saísse chorando na foto)! Eu mal podia acreditar. Agora, o carinha da Central de Fã Clubes nos levava para o gramado. Era a primeira vez que eu ia ao Maracanã.

Foi inevitável dar um giro de 360º com a boca aberta quando chegamos no gramado. Tudo tão grande. Tão cheio de gente. Assustador. O carinha levou todo mundo para um setor lá atrás, muito ruim. Não era ali o meu lugar. Eu tinha comprado ingresso para a primeira fila. A minha mãe estava lá esperando por mim.

– César (era esse o nome dele), você disse pra minha mãe que você ia me levar até ela depois do camarim, lembra?
– E cadê ela?
– O nosso setor é o VIP PREMIUM.
– Você tá com o ingresso?
– Não. Tá com ela.
– Assim não dá! Não posso entrar com você lá sem o ingresso! Você tinha que ter pego!

O-ou. Climão. Fazia sentido o raciocínio dele. Mas pegar o ingresso era a última coisa que eu pensaria minutos antes de ir conhecer a Sandy e o Junior. E agora, José? Liguei pra minha mãe. Vivo não tava funcionando lá. Quem patrocinava o show era a Oi. Daí já viu, né. Não conseguia contato com mamãe. Fui andando pra entrada do Vip Premium numas de acenar pra ela.

De onde eu tava, eu nem a via. Contei o meu drama pro recepcionista do setor. A príncipio, ele não acreditou, mas diante da minha insistência, ele chamou outros funcionários. O cara perguntou qual era a cadeira que minha mãe estava. Eu disse. Ele foi lá chamar ela. Voltou sem ela. Não a encontrava. Repeti. Ele foi e voltou várias vezes e nada. As vezes, o Maracanã começava a gritar. Parecia que o show ia começar. Ficava desesperado. Quase chorando. O recepcionista do setor falou:

– Olha, garoto, vou fingir que não tô vendo, aí você pula essa grade e vai encontrar a sua mãe.

Adorei a idéia, né. E lá fui eu pular. Só que, gente, eu nunca fui bom com nada radical. E pular grade, pra mim, é radical. Torci o meu pé. Chorei. E, sentindo o filho em apuros, apareceu a minha mãe.

– Que que você tá fazendo aí? Tô te esperando há um tempão! Nosso lugar é ótimo! Vem!
Sandy e Junior ignorando meu sofrimento – tipo a minha mãe

E aí o show começou. E eu esqueci que meu pé tava doendo. Afinal, eu era fã.

Anúncios

2 respostas para Eu tenho ingresso, só não tá comigo

  1. Thatiana

    Sempre rolando algum problema… hahahahahahahaRealmente não consigo imaginar você pulando a grade! Não é desses.

  2. Erica FF_

    IUSHADIAUSHDIAUSDHIUSDHISUDSDvc é muito desses..fez mo drma c o pé e dps até se desfocou…so tu msmMaraca foi o auge, dia das crianças perfeito…nao se faz mais dias assim né? O q vai ter amanha? Nada, nao tem mais SJ o/PIOHASDIOHASOIDHASDHAOSIHDSD

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s