No escurinho do cinema

Tava no cinema com Marina. A Manzano tava atrasada e disse que era melhor nós entrarmos e, quando ela chegasse, levassemos o ingresso dela lá na porta. Beleza. Tava eu e Marina lá, já tinham se passado 15 minutos do início da sessão e nada da outra ligar. Peguei o celular indignado, tava lá:

Manzano is calling.

Atendi. E Manzano estava puta, dizendo que estava esperando lá fora. Não entendi nada. Não era exatamente esse o combinado? Fui levar o ingresso dela. Saí da sala, olhei pra um lado, olhei pro outro, nada dela. Cadê essa garota, gente? Nada dela. Já tava voltando pra dentro da sala, quando a avistei, longe, caminhando a passos de formiguinha.

– Vambora!
– Tô te ligando há um tempão e você não atende! Já tava indo embora!
– Deve tá no silencioso o meu celular. Só vi agora.
– E não vibra não?
– Se tá no silencioso, é óbvio que não vibra. Vamos!

Mostramos os ingressos e entramos. A sala tava numa escuridão nível prova de liderança do BBB. Sério. Sem brincadeira. Eu não conseguia ver nada. Fui andando me apoiando nas poltronas das pessoas. Andei, andei, andei. No escuro, os caminhos parecem mais longos, penso eu.

– Manzano, tá vindo?

Não obtive resposta. Perguntei mais uma vez e nada. Segui andando. Cheguei no corredor. Sabia que tinha que entrar naquele corredor. Entrei e andei. Fui pra frente. Fui pra trás. Não achava a Marina. Que ótimo. Perdido numa sala de cinema. Sem uma nem outra. Peguei meu celular pra iluminar. Iluminei a cara de um monte de gente e nada de achar Marina. Climão. As pessoas começavam a ficar incomodadas comigo. Que merda. Logo agora que eu planejava gritar Mariiiiiina! Manzaaaaano! Cadê vocêêêês? e me direcionar à voz mais próxima. Continuei iluminando um e outro, sem sucesso. Não havia sequer um lugar vazio no meu campo de visão para eu desistir de procurá-las e me sentar.

Foi então que Marina fez a fina e pegou o celular dela. Vi o rosto dela iluminado. A iluminada, dá nome de novela. Corri pra perto dela e me sentei.

– Cadê a Manzano?
– Perdi.
Anúncios

Uma resposta para No escurinho do cinema

  1. Thatiana

    Ao vivo, essa história fica bem mais engraçada!!! Você mostrando quando roda o celular… me acabo! Só você…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s