Conheci a Ariana Grande e conto tudo: afinal, como ela é?

Muita gente me pergunta como é a Ariana Grande, que eu tive a chance de encontrar no camarim do show dela em São Paulo, no Allianz Parque, no fim de outubro. “Ela é simpática? Baixinha mesmo? Fofa? Cheirosa?”. Consegui narrar aquele dia em detalhes para poucas pessoas, porque a vida é muito corrida e a gente acaba sintetizando tudo em “sim, ela é demais, adorei!”. O show, por exemplo, foi em um domingo, que eu acordei às 12h e saí da casa do meu amigo, onde estava hospedado, às 14h15. Não lembro que horas o show acabou e chegamos em casa, mas fui me deitar muito tarde e acordei cedíssimo para pegar o voo de volta para o Rio. E, mal cheguei na cidade, já tinha que trabalhar, porque era segunda-feira. Então, realmente, foi um corre-corre e mal deu tempo de pensar! Mas vamos lá.

Eu não entrevistei a Ariana, como alguns pensaram. Até onde sei, ela não deu entrevistas para ninguém no Brasil. Entrei no camarim total de fã. Comprei ingresso assim que abriram a venda, para garantir, e viajei por conta própria, porque ela estava na minha lista de shows que eu não aceitaria perder por nada nesse mundo (como Adele, se vier). Não fui a trabalho, embora no fim tudo tenha se misturado um pouco. O POPline, o site para o qual escrevo, fez um concurso cultural para levar alguém ao Meet & Greet (que é esse encontro do artista com os fãs em uma salinha nos bastidores) junto com a Maisa. Então, como eu já estaria lá, meu chefe me incumbiu de receber a Maísa e a vencedora da promoção na arena e me certificar de que tudo daria certo. Até segunda ordem, eu não iria ao Meet & Greet! Eu só consegui minha pulseirinha na hora, graças ao pessoal da Universal Music (beijo, amo vocês!). Tanto é que a Maisa e a Bia, a vencedora do concurso, entraram bem antes de mim, assim como todos os outros. Eu fiquei conversando com os pais da Maisa um tempão lá fora. Entrei na prorrogação do segundo tempo.

Maisa, eu e Leticia em um corredor qualquer do Allianz, esperando o momento da entrada no Meet & Greet.

Maisa, eu e Leticia em um corredor qualquer do Allianz, esperando o momento da entrada no Meet & Greet.

O horário marcado para o credenciamento do pessoal do Meet era às 15h30, no portão C1. Já o credenciamento para imprensa só começaria às 18h, por isso fui sozinho. Meu amigo, que é dono do site Setor VIP, só chegaria mais tarde. Seria muito tempo para ficar lá sem ninguém, mas me diverti muito com a Maisa e a Bia, que são ótimas meninas. Também fiquei muito feliz de encontrar a cover Letícia Campos, que eu tinha entrevistado para o site algumas semanas antes e, graças a isso, conseguiu um passe para o Meet. Foi muito fofo ela me abraçando e agradecendo. Senti muita verdade. Eu sei o que é isso: amor de fã. Quando alguém nos ajuda, parece até um anjo, porque sempre tem muito mais gente para atrapalhar do que cooperar. Já estive desse lado.

Ok, mas e a Ariana? Bem. O horário marcado era 15h30, mas a gente só entrou na salinha para a foto quase 19h. Foram longas horas de espera, de fila em fila. Fila na entrada do Allianz, fila em um corredor, fila na porta do lugar… As pessoas veem a foto e não imaginam nada disso, né? Na reta final da espera, por exemplo, eu estava muito apertado para ir ao banheiro, e não tinha nenhum perto. Não dava pra sair dali e ir a outro mais longe, senão podia dar ruim. Só me restava prender. Então, eu só pensava “não vejo a hora de tirar logo a foto para poder fazer xixi!”. Quem estava comigo lá sabe. Mas, ok, eu também estava muito feliz. Sou apaixonado pela voz da Ariana e torço tanto pela carreira dela, que era surreal de repente estar prestes a encontrá-la, assim, do nada. Antes, rolou o “soundchek”, que não é exatamente uma passagem de som. Era mais uma brincadeira dos dançarinos com os fãs, com a Ariana no palco, meio que assistindo a tudo no palco, e vez ou outra mandando tchauzinhos e beijinhos para quem chamava sua atenção.

Quando a Ariana entrou no palco, todo mundo gritou, porque foi bem de repente, mas ela não esboçou reação. Lembro que eu e Maisa nos olhamos, com medo. Parecia que a cantora não estava em um bom dia e preferia estar em qualquer lugar menos ali. Mas depois ela foi se soltando, fazendo graça com os dançarinos, zoando as brincadeiras propostas e sendo exatamente aquilo que a gente vê nos vídeos na Internet. Confesso que o “soundcheck” começou com uma má impressão, como se ela não estivesse nem aí para ninguém ali, mas depois deu para entender: era o último show da turnê, e ela parecia um pouco triste e melancólica. Ela falou sobre isso algumas vezes. Não há registros, porque não podíamos pegar em câmeras ou celulares sob o risco de expulsão, mas é só você pensar que ela chorou assim que acabou de cantar a primeira música do show, que era a animada “Bang Bang”.

De volta à fila, recebemos a informação: tínhamos que nos organizar em grupos de sete pessoas para a foto. Isso causou algum burburinho, porque era difícil fechar os grupos e teve gente revoltada. O meu grupo, por exemplo, era de cinco pessoas apenas, e não conseguíamos encontrar dois aleatórios para completar. Conforme se aproximava nossa vez, a produtora americana dizia que “se não estivessem em sete, ela juntaria dois grupos”, o que seria um terror. Imagine Ariana, magrinha e baixinha, perdida em mais de dez pessoas em uma foto. Não queríamos. Decidimos ir para o fim da fila, para conseguirmos entrar só em cinco, com a justificativa de que “não tinha mais ninguém para enfiar”. Deu certo. Chegou nossa vez e eu estava na dianteira, por acaso.

Aqui vale uma explicação. Nessa hora, estávamos dentro de uma grande sala sem iluminação, o que causava estranheza a todos. Ali, haviam montado uma tenda de tecido preto, e Ariana estava dentro, no breu. Parecia um darkroom ou um cativeiro de morcegos (sabe como é no zoológico?). Segundo disseram, era para o fotógrafo (Alfredo Flores) ter total controle da luz – o que é fácil, quando ela inexiste. Enfim. Abriram a tenda e eu estava na frente. Já entrei em alguns camarins (todos com luz, na verdade) e o artista sempre está na parede do fundo, esperando para te receber e fazer a foto. Então, botei um pé para dentro focado na parede do fundo e não vi ninguém, porque Ariana estava do lado da porta para me receber. Ela recebe um por um. Quando me dei conta que ela estava ali, soltei um OH MY GOD e dei um passo para trás, meio assustado, e meio querendo registrar o momento. Em seguida a abracei, e aproveitei o momento para falar algo. Eu não tinha preparado nada, o que foi um erro. Seria legal ter dito algo marcante.

– YOU SING…

Eu queria dizer que ela canta muito, mas meu cérebro estava trabalhando no modo Google Translate, o que claramente não daria certo. Percebi isso e corrigi para YOU SING… YOU HAVE THE BEST VOICE!!! E ela me agradeceu sorridente. Pronto. Minha vez tinha acabado. Fui direcionado para a parede do fundo, para a foto. Tinha que esperar os outros quatro fãs entrarem. Foi tudo tão rápido, que nem vi acontecer. Só vi a Ariana vindo para a foto, para o lado oposto ao que eu estava, então me desloquei e me abaixei na frente dela. O fotógrafo soltou um GREAT! e chegou mais perto – perto demais, eu diria – para fazer a foto. Eu sabia que, em primeiro plano, e tão perto da câmera, eu ficaria ainda mais cabeçudo do que já sou. Tarde demais para qualquer mudança. Em seguida, ele fez uma segunda foto, e ninguém mudou de posição (a não ser um menino que tinha saído loucamente atrás de todo mundo na primeira foto!), porque sentíamos a pressão do tempo no ar. Limitei-me a fazer uma caretinha, que saiu assustada na foto. Havia uma fila com mais de 200 pessoas do lado de fora esperando para passarem por aquilo tudo, e a gente sabia disso. Era tudo muito rápido, vapt vupt mesmo. Feitas as fotos, Ariana agradeceu e se direcionou rapidamente para a porta da tenda escura para receber o próximo grupo. Ainda consegui dizer HAVE A GREAT CONCERT antes de sair, e ela me agradeceu novamente, já apressada para falar com os próximos fãs. Então, sim, a achei simpática, na medida do possível. Educada, acima de tudo. Minha impressão é que ela estava muito emotiva com o fim da turnê, mas se esforçou para ser receptiva e não deixar ninguém decepcionado. O Meet & Greet, tão sonhado por tantos fãs, não é o lugar para conhecer, de fato, ninguém. É para tirar a foto, e só. É “oi, foto, tchau”. Alguns artistas têm esquemões que tornam a situação pior – sem poder abraçar, beijar, encostar, sob o risco de enfrentar a brutalidade dos seguranças. Com Ariana, não há nada disso. A única proibição é de pegar celular para fazer outra foto além da oficial, e pegar autógrafo, por uma questão de tempo. Os presentes, caso existam, têm que ser deixados em uma mesinha na entrada da tenda, o que também acredito que é com o intuito de agilizar o processo.

Essa foi a primeira foto. Não vi Ariana fazendo dedinho e biquinho, mas o Federico Devito saiu do camarim dizendo que tinha sentido o "chifrinho" nele. Agora, me explica aquele menino ali atrás: POR QUÊ, DEUS? Jamais entenderei. Ele deu mole. Tinha feito um desenho lindo da Ariana e queria entregar pra ela, mas na hora acabou não dando com a correria. Papou mosca - e quase perdeu a chance de sair na foto, se não fosse a segunda...

Essa foi a primeira foto. Não vi Ariana fazendo dedinho e biquinho, mas o Federico Devito saiu do camarim dizendo que tinha sentido o “chifrinho” nele. Agora, me explica aquele menino ali atrás: POR QUÊ, DEUS? Jamais entenderei. Ele deu mole. Tinha feito um desenho lindo da Ariana e queria entregar pra ela, mas na hora acabou não dando com a correria. Papou mosca – e quase perdeu a chance de sair na foto, se não fosse a segunda…

Essa é a segunda foto, que eu particularmente acho que ninguém ficou bem. Nós nem sabíamos que haveria uma segunda foto. De repente, tinha, e não sabíamos o que fazer. Fiz essa careta e o fotógrafo demorou muito pra bater, então ela já estava se desfazendo e minha cara saiu assustada. Não vi a Ariana tentando lamber a orelha da Bia, também. E jamais entenderei as razões dela para isso rs

Essa é a segunda foto, que eu particularmente acho que ninguém ficou bem. Nós nem sabíamos que haveria uma segunda foto. De repente, tinha, e não sabíamos o que fazer. Fiz essa careta e o fotógrafo demorou muito pra bater, então ela já estava se desfazendo e minha cara saiu assustada. Não vi a Ariana tentando lamber a orelha da Bia, também. E jamais entenderei as razões dela para isso rs

É engraçado, porque vejo as fotos e não vi Ariana fazendo biquinhos e se esticando para o lado, por exemplo. A sensação é de ter alguns flashes daqueles segundos tão aguardados. Mas fico muito feliz de ter a oportunidade de chegar perto de alguém que admiro tanto. Meus amigos sabem que a chamo de mini diva. Afinal, sou mais velho que a Ariana e que todos que estavam no camarim comigo (rs!). Gosto dela de verdade, e é sempre legal se aproximar e humanizar aquela imagem que você acompanha, de alguma forma. E, ah, eu tenho um problema sério de olfato (não sinto a maioria dos cheiros!), mas todo mundo saiu do camarim dizendo que ela é muito cheirosa, sim. Eu acredito. Afinal, ela lançou seu próprio perfume há pouco tempo rs.

Na saída do Meet & Greet, aliás, aconteceu uma cena muito engraçada (para mim), que não tem nada a ver com a Ariana. Estávamos todos caminhando para a Pista Premium, eufóricos, cada um contando como tinha sido o camarim sob sua perspectiva, sem que ninguém se ouvisse de verdade, quando uma vlogueira, que não vou dizer o nome pelo simples fato de ignorá-lo, soltou “ai meu Deus, meu Snapchat não tá pegando!”. Era tipo assim:

– AI MEU DEUS, A ARIANA ME ABRAÇOU.

– CARACA, ELA FALOU QUE SOU LINDA.

– MEU DEUS, QUE CHEIROSA!

– AI MEU DEUS, MEU SNAPCHAT NÃO TÁ PEGANDO!

Olhei feio para ela. Parecia que não estava nem aí para o momento. Não devia ser fã. E ela tinha dito antes que queria ficar do lado da Ariana na foto, bem me lembro. Quer dizer, era só para aparecer para os seguidores. Caça-likes. Havia muitos vlogueiros lá, aliás, e eu não conhecia ninguém, mas iam me dizendo “olha o fulano”, “olha o sicrano” e eles tinham algum assédio. Tenho algumas considerações sobre esse universo, mas isso é assunto para outro dia… Hoje fico só com Ariana mini diva Grande.

2 respostas para Conheci a Ariana Grande e conto tudo: afinal, como ela é?

  1. Isador Simões

    Adorei você!!Sou muito fã da Ariana e fui no show, porém não ganhei nenhum concurso para o Meet, infelizmente.Mas fico muito feliz que você a admira e teve a oportunidade de conhecê-la!E concordo plenamentw com oq vc disse da vlogueira…Dá desgosto!Bjs 💜

    • Leonardo Torres – Autor

      Dá desgosto mesmo! Tanta gente que daria mais valor àquele momento, e ela preocupada com Snapchat rs Mas é sempre assim… Sempre tem umas pessoas que vão para autopromoção, né? :X

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s