Não sou ruína

Eu tinha escrito um texto, que até era bom, apoiado em uma metáfora entre mim e as ruínas de San Ignacio, mas não vou postá-lo. Os últimos acontecimentos da minha vida fizeram com que eu não me veja mais nele e até o ache patético. Sabe quando você pega seu diário de pré-adolescente para ler dez anos depois? Então, é mais ou menos esse meu sentimento com relação àquele texto, do fim de semana passado.

Por que estou falando isso, afinal? Não sei. Esse é um post que começo a escrever sem ter certeza de aonde quero chegar. Mas preciso deixar registrado o quanto eu sinto-me envergonhado por, volta e meia, acreditar que minha vida é uma droga. Ou que está tudo perdido. Ou que eu tenho o maior problema do mundo – esse é recorrente. É só eu conversar com meia dúzia de pessoas para descobrir que meus dramas são, na verdade, bem bobos. Não que alguém tenha me dito isso alguma vez, mas eu mesmo percebo depois de ouvir seus problemas concretos (e não criados por uma cabeça perturbada).

Eu sofro por medo que aconteça e por medo que não aconteça. É tudo por medo. É por antecedência. Eu estou falando com você agora, mas pensando em como será minha vida aos 30, aos 40 anos. E sofrendo com a possibilidade de fracasso. Essa hipótese – “e se” – se torna uma certeza na minha cabeça, de uma maneira que a vitória não consegue. Logo, me desespero. Por algo que não existe e não sei se existirá. O que existe é meu medo.

E aí eu converso com os amigos iluminados que eu tenho. Pessoas com problemas sérios, mas que eu não vejo reclamar. Pessoas com problemas graves, mas com tempo para ouvir minhas besteiras. Amigos que me contam o que estão passando, mas se antecipam em dizer que tudo ficará bem. Eles podem ter medo, o que é natural do ser humano, mas não deixam o pânico tomar conta e sobrepor a esperança. É gente assim que eu admiro.

É gente assim que me faz perceber que estou no caminho errado. Não posso ser tão negativo. Não posso pedir para sair na primeira fraquejada. Viver é para os fortes, definitivamente, mas alcançar o sucesso exige ainda mais. Sucesso é para quem tem foco e persistência. Se ninguém disse que seria fácil, porque achei que seria? Bola pra frente, camarada.

Responder a Não sou ruína

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s