Maratona Oscar 2012: O Lado Bom da Vida

Esse post faz parte da maratona contra o tempo para ver o máximo de filmes possíveis antes da cerimônia do Oscar 2013, marcada para o dia 24 de fevereiro (acompanhe o processo)

Indicações: Melhor Filme, Diretor, Ator, Ator Coadjuvante, Atriz, Atriz Coadjuvante, Roteiro e Edição.

Meus filmes favoritos são sobre humanos e suas relações intra e interpessoais. Não são necessários superproduções, efeitos especiais ou assassinatos a serem desvendados. As pessoas já são complexas demais e rendem material excessivo. Quando digo humanos não me refiro à humanidade. Gosto das histórias que se aprofundam nas singularidades de cada pessoa, muito mais do que aquelas que nos tratam como parte de um todo generalizado e homogêneo. “O Lado Bom da Vida” é do jeito que eu gosto.

Simpatizei com esse filme desde que li o primeiro argumento no ano retrasado e vi as primeiras fotos das filmagens, quando ainda trabalhava na Pipoca Moderna. Não entendia por que Bradley Cooper corria vestido com um saco de lixo e isso me inquietava a cada nova imagem que era divulgada pelos paparazzi. Em outras palavras, estava muito ansioso para assistir ao longa, com todo aquele risco de ter uma grande decepção. Mas não tive.

A trama acompanha a saída do Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) de um sanatório e sua tentativa de se reintegrar na sociedade, apesar de uma ordem de restrição de aproximação da sua ex-mulher, por quem ainda é apaixonado. Nesse contexto, ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma vizinha que também tem seus problemas psicológicos, decorrentes da morte do marido. Parece simples, mas é encantador. O filme mergulha no que há de melhor e pior no ser humano, com todas suas peculiaridades gritantes.

New-The-Silver-Linings-Playbook-still-HQ-jennifer-lawrence-32277883-1200-724

É um merecido candidato ao Oscar, embora eu duvide que vença a categoria principal. Bradley Cooper, indicado a melhor ator, está surpreendente como eu nunca achei que fosse capaz de vê-lo. Meus parabéns. Isso conta muita para a Academia: quando você passa anos fazendo papeis babacas e, de repente, investe em um personagem complexo. Foi assim que Sandra Bullock garantiu o troféu dela. Já Jennifer Lawrence, que concorre pela segunda vez à melhor atriz, está ainda melhor que Cooper, mas foi indicada, de novo, em um ano disputadíssimo. Emmanuelle Riva (“Amor”), Quvenzhané Wallis (“Indomável Sonhadora”) e Naomi Watts (“O Impossível”) estão superiores. Ela terá que se contentar com o Globo de Ouro.

David O. Russell, o diretor, também não deve levar a estatueta, e o roteiro, incrível, terá que enfrentar “Argo”, “Lincoln”, “Indomável Sonhadora” e “As Aventuras de Pi”. Difícil. Sobre Robert De Niro e Jacki Weaver, indicados às categorias de coadjuvantes, prefiro não comentar ainda. Eles estão bons, sim, mas não sei se premiáveis. Eu amei – de verdade – “O Lado Bom da Vida”, mas acho que ele será o azarão da festa, infelizmente.

oladobomdavida

Uma resposta para Maratona Oscar 2012: O Lado Bom da Vida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s