Resenha: estreia do “The Voice Brasil” e o caso do índio Yuri Maizon

Não sei vocês, mas eu parei para ver a estreia do “The Voice Brasil”, na TV Globo, neste domingo (23/9). Gosto muito do formato do programa – essa ideia de ouvir os candidatos de costas, sem interferências visuais – e queria ver como ele funcionaria no Brasil. O resultado foi bastante positivo, a começar pela apresentação dos quatro técnicos (Claudia Leitte, Carlinhos Brown, Daniel e Lulu Santos) da música “Assim Caminha a Humanidade”. Mas, claro, houve problemas.

O time escolhido – e muito criticado antes da estreia – mostrou que tem competência para exercer o papel que lhe foi dado, o que eu nunca duvidei. Lulu Santos, como imaginava, foi quem pareceu mais à vontade, alfinetando seus concorrentes e seduzindo os candidatos. Foi o responsável pelo humor, que é uma parte importante do programa. Já Daniel e Claudia Leitte só pareceram entender que se tratava de uma competição na reta final da primeira audição – principalmente porque a baiana não havia conseguido muitos integrantes para o seu time.

Os candidatos, aliás, representaram os mais diferentes estilos musicais, o que certamente será um dos pontos altos da versão brasileira do reality show. Afinal, o Brasil é um celeiro de talentos e abraça todos os gêneros. Mas, justamente por conta disso, eu esperava uma nivelação maior dos avaliados. O primeiro episódio do programa não contou com nenhum vozeirão, sinceramente. As pessoas tinham timbres, estéticas e origens diferentes, mas nenhuma me impressionou de verdade. Ellen Oléria (vídeo aqui) foi quem mais se aproximou disso, mas eu achei que o nível seria dela para cima, e não para baixo. Até uma backing cover do Latino (!) se apresentou e foi ovacionada…

Outra candidata, chamada Alma Thomas, se arriscou em um cover de “Someone Like You”, da Adele. Os técnicos babaram por ela, mas eu, de verdade, a achei muito decepcionante. A expectativa é inevitavelmente muito alta quando alguém decide cantar Adele, por razões óbvias, e a candidata ficou anos luz abaixo da inglesa. Foi meio embaraçoso vê-la gritar sorrindo (péssima interpretação). Participantes do “Ídolos” e do “Raul Gil” estão muito acima. Por que eles não foram selecionados para o “The Voice Brasil”?

O que mais me incomodou, no entanto, foi a participação de um candidato indígena chamado Yuri Maizon. Na verdade, não ele em específico, mas a forma como a produção o tratou. Tudo começou com uma filmagem na Aldeia Jatobá, em Tangará da Serra, o que já o diferenciava dos outros concorrentes. A casa de ninguém foi mostrada, só a dele. Mas dava para engolir até aí, porque seria difícil que o programa não explorasse ao máximo sua “prova de inclusão étnica”. A situação piorou mesmo quando ele chegou ao estúdio, transformado, com uma roupa típica do sertanejo pop (lê-se Luan Santana, Gusttavo Lima), enquanto dizia que “o Brasil inteiro vai me ver mostrando a minha cultura”. Não sei se o vestuário foi escolha sua ou recomendação da produção, mas ficou grotesco. Aquela era sua cultura?

Interessantemente, ele, sim, tinha um potencial vocal muito bom e, apesar do estilo musical que não me agrada, fiquei impressionado com sua apresentação. Os técnicos não. Nenhum deles apertou o botão para selecioná-lo para seu time, o que significa que não o acharam suficientemente bom. Direito deles. Mas assim que Yuri terminou de cantar e Claudia, Daniel, Lulu e Carlinhos puderam vê-lo, começou o show de preconceito. Vergonhoso.

Tratar excessivamente bem alguém que você julga diferente também é discriminação, sabia? Foi exatamente isso que eles fizeram. Os quatro ficaram bajulando-o só porque ele era índio. Deprimente. “Esse dia é festivo para o Brasil por tê-lo aqui representando sua etnia” e “Me sinto honrado de estar na sua presença, porque você representa uma fatia muito forte e importante da nossa herança cultural” foram algumas das frases ditas, antes que os técnicos se levantassem para aplaudi-lo de perto, como se ele tivesse algo de divino (vídeo). Na tentativa de agradar, Carlinhos Brown soltou uma palavra em algum idioma indígena e o candidato não entendeu, porque falava outro. “É a mesma coisa que eu ir ao Japão. Eu também não entendo eles”, explicou Yuri. Pensei em mudar de canal, mas o programa terminou. Foi uma decisão acertada.

OBS: Tiago Leifet vá lá, mas a Daniele Suzuki foi dispensável.

Anúncios

35 respostas para Resenha: estreia do “The Voice Brasil” e o caso do índio Yuri Maizon

  1. denise a s souza

    Vamos pessoal do programa the voice brasil chamar o Indio de volta ele merece por favor foi maravilhoso inesquecivel

  2. luana tamara

    eu tbm nao mim conforme cm o preconceitoo dos juradas…..
    volta indío…..

    • Rogério

      Simplesmente uma das vozes mais bonitas que ja passou no programa, outra sua voz é bem brasileira, foi um dos maiores erros se não o maior a não classificação do indio comparado com outros candidatos que passaram é muito melhor, além de ter grande carisma, um cantor não é só voz bonita e sim carisma, simpátia, tem muita gente que passou que não deve ir muito longe exatamente porque não tem estes elementos, ele devia passar.

  3. Aline

    “Carlinhos Brown soltou uma palavra em algum idioma indígena e o candidato não entendeu, porque falava outro dialeto. ” Gostei da sua resenha Leonardo, mas chamar o Pareci, língua de Yuri, de dialeto é também um preconceito. No Brasil, há cerca de 180 línguas diferentes. Dialeto é o termo que se usa para variedades de uma mesma língua, como os dialetos do Italiano. Sobre os Pareci, veja : http://pib.socioambiental.org/pt/povo/paresi

    RESPOSTA DO LÉO – Desculpa, Aline. Ignorância minha. Vou corrigir.

    • silvio_pim@hotmail.com

      Yuri, vai ser conhecido por todos os Brasileiros através dos seus Shows ao vivo por todo Brasil, The Voice Brasil abriu as portas, agora o “não” dos jurados foi a melhor coisa que aconteceu na vida desse indio. Ja tem uma MEGA EQUIPE investindo na carreira desse IDOLO brasileiro.
      Sucessooooo p/ vc Brasileirissimo.

  4. Valdeci Rodrigues

    parabéns Yuri pelo talento que você tem, nunca descista de teu sonho vai em busca sempre daquilo que te faz feliz e deixa realizado sucesso e siga enfrente que os deus da tua tribo estão te olhando e mandando muita luz, o sucesso e o talento ninguem pode te tirar siga em frente abço.

  5. Carla

    A respeito da candidata Alma e a escolha de sua música, a meu ver a crítica do autor da resenha foi desnecessária, afinal, o intuito é cantar “igual” a Adele? Só porquê a música é da Adele? Não, cada candidato tem que dar a “sua” versão da música, isso demonstra a personalidade do artista, suas características, algo extremamente importante em uma competição. Já cansei de ver programas de calouros onde candidatos, por ora excelentes, serem desclassificados por “imitar” o artista que canta a música. Portanto, a apresentação dela foi muito boa, não a melhor da tarde, mas foi muito boa. Na questão do índio, sim foi uma injustiça o que foi feito, ele era um excelente candidato e não sei porquê não foi escolhido. E o autor dessa resenha viajou um pouco.

  6. Françuele Alexandre

    Fiquei muito decepcionado com a falta de sensibilidade em identificar uma pedra preciosa em sua forma bruta, a qual poderia ser lapidada e se tornar uma joia de grande valor pelo potencial apresentado, o Sertanejo Daniel me decepcionou muito em não ter escolhido o Yuri.

  7. maiane das neves lima

    infelismente, vivemos no país cheio de preconceito,onde vivemos com indiferença, já to acostumada com isso .muita gente acha que ser indio é viver nú ter cabelo liso , olhos esticados e etc.somos um povo humilhado e queremos nossa liberdade e direito de ser iguais á todos.to torcendo por vc parente niamisu siratã esta olhando por vc!!!!!!

  8. Julio Cesar

    Daniel, vc foi deprimente!!! Ainda fala de raízes!!! Queria ver vc passar um mês morando na tribo do Yuri, fazendo o que ele faz e ainda conseguir surpreender a todos…pior foi sua comparação em relação a voz do xororó, quer dizer que o xororó não canta nada?

  9. reginaldo

    yuri , não se desaponte, pois, vc. mostrou seu talento. E que talento,foi uma apresentação e tanto.Espero que os produtores musicais que assistiram o programa, tenham o bom senso de procurá-lo,e, oferecer-lhe uma chance,pois, vc. mostrou seu valor. parabéns.

    • Carla Santo

      Pelo o que li das regras, os candidatos desclassificados nesta primeira versão estarão automaticamente inscritos para o próximo programa.

  10. NASCIMENTO

    VALEU YURI INDIO MAIS QUE BRASILEIRO, O VERDADEIRO DONO DESSA TERRA E INDEPENDENTE DOS ARREPENDIMENTOS, E O VERDADEIRO FESTIVAL DE DISCRIMINAÇÃO DOS XERIFES DO PROGRAMA. YURI É MUITO BOM.

  11. PAULO

    A MUSICA SERTANEJA NÃO É O MEU ESTILO, MAIS O BRASILEIRO YURI ME ARREPIO, MEU CARRO DE MANHA NÃO FUNCIONOU LEVEI NO MECANICO LÁ HOUVE O COMENTARIO SOBRE O YURI, FUI CORTAR O CABELO, NO SALÃO TAMBÉM OUVI O MESMO COMENTARIO, SOU TAXISTA 7 ENTRE DEZ PASSAGEIROS COMENTARIO SOBRE YURI E A BRINCADEIRA DO DANIEL E CARLINHOS( É A VIDA DE UMA PESSOA QUE ELES ESTÃO DEFININDO NÃO PODE HAVER ESSE TIPO DE BRINCADEIRA. VALEU YURI UM VERDADEIRO BRASILEIRO.PAULO.

  12. MAYRA

    Fiquei mto triste tbém…torci muito por ele e espero sinceramente que ele tenha uma nova chance

  13. Francisca Domingas de Paula

    O programa comesou bem,mas não podias errar no primeiro, era preferivel errar por ecesso do que por falta,Claudia Leite e Daniel muito fracos e inseguros e que palhaçada foi aque com yuri maizon,ficaram no jogo de impurra e ninguem apertou o botão para o cara, indiscutivelmente é um talento, o Daniel se complicou mas ,comparando a voz do yuri com a do Chitãoziinho,será que ele não gosta da voz do Chitâozinho, Daniel você não aprendeu que quem conversa de mais da bondia a cavalo

  14. Julia

    Não achei ridicula a forma como os jurados agiram ao despedir dele… Entendo como se fosse uma forma de parabeniza-lo por chegar la, onde no Brasil há um preconceito em que cada um tem que viver somente no seu mundinho… e se ele cantou sertanejo está mais que certo em se vestir assim… entao vamos criticar também os outros por terem vestido roupas que não são as mesmas que usam em casa.
    Os aplausos são para coragem e determinação dele em buscar a concretização de um sonho, onde todos (como vc) deve achar que índio deve ficar somente da aldeia.
    Nossa! Qta besteira para se avaliar!

    RESPOSTA DO LÉO – Gostei do seu ponto de vista sobre o vestuário. Você tem razão, Júlia. “Se cantou sertanejo, está mais que certo em se vestir assim”. O que ficou chato foi ele entrar no palco, com aquela roupa, enquanto no áudio dizia “quero mostrar minha cultura”. Foi um problema da edição…

  15. Alice

    Que objetivo é esse do The voice! Escolher quem canta melhor em inglês menosprezando quem canta em português; não escolher uma pessoa por preconceito ao timbre de sua voz, como foi o caso do índio…. deram mais valor a língua cantada do que a voz em si… o que foi aquela busca da voz da alma… que voz que nada, teve candidatos que nem cantava tanto assim e foram escolhidos… será que pagaram? em um pais de tanta corrupção não é de se espantar…

  16. Diego Pinheiro

    Você por acaso sabe qual é o estilo musical do indío? Ou talvez qual se a roupa escolhida foi ou não feita por ele? Por que ora bolas um programa deixaria de fazer inclusão étnica, social e outras tantas? Por que não evidenciaria o que todos gostariam de ver que seria a casa do indío, ou será que você acredita que o telespectador preferia ver a sua casa e não a dele? O Brasil, meu caro, é reconhecido mundialmente exatamente por isso – suas diferenças, isso nos torna culturalmente únicos!
    Críticos e colunistas como você existem aos montes hoje em dia, só sabem, literalmente, criticar. Faço uma pergunta a você – será que um dia conseguirás postar algo que só tenha coisas boas a dizer? Duvido muito por que no mundinho onde vivem, criticar é sinônimo de superioridade, é ter o dom de julgar o certo e o errado, é ter a certeza de sua inabalável sabedoria.

    Quanta ignorância!

    Do fundo do meu coração espero um dia em que, ao “ler vocês”, eu consiga apertar o botão vermelho… aguardar o giro da cadeira… e aplaudí-los!

  17. Natália

    Eu tb fiquei muito triste por ele não ter passado, triste mesmo…. pois dom e potencial ele tem sobrando!!!! Torci muito por ele e não acreditei quando não o aceitaram. Tb achei ridiculo o jeito como os jurados o trataram, “arrependidos” por não ter aceito ele, parece que ficaram com pena dele… não gostei disso!!! Acho que o Yuri deveria ter uma segunda chance, pois ele merece e muitooooo!!!!! Parabéns Yuri, você é 10!!!

    • Alexia

      Concordo com Natália: ele deveria sim ter uma segunda, terceira, quarta chance, pois ao meu ver ele sim representa o Brasil, melhor do que muitos que estavam ali cantando em idioma estrangeiro. :/

    • Carla Santo

      Pode parecer piegas, mas eu chorei muito quando a música acabou e ninguém o escolheu… Achei que de todos ali era o que mais merecia essa oportunidade, mas não pela sua condição e sim pelo seu esforço!

  18. José Firmino

    Conhece Yuri em 2009, em um Festival em Mato Grosso. Tenho serteza que não importa a classificação, mas sim o fato de ter sido o melhor. Mesmo por que são raros os casos de ganhadores desses tipos de programas que realmente fazem sucesso.

  19. Sou de MT e já ouvi falar do Yuri e o sertanejo é o estilo preferido dele. Acho que é um direito e até mesmo a vestimenta também é um direito dele. Só acho que ele não estava “assim um Luan Santana, um Gusttavo Lima”.
    Acho que quando ele disse estar ali para “representar sua cultura!”, não creio que fosse para cantar ou dançar no ritmo de sua aldeia, mas sim a personalidade que se fazia presente nele.
    Mas enfim, foi gritante a reação dos jurados (que se dizem entender de música.) ao bajularem o Yuri só por vê-lo que era um índio. Achei injusto e uma palhaçada. Pois claramente se viu a mão do Daniel e do Carlinhos a ponto de apertarem o botão vermelho e não o fizeram. Ridículo! A puxação de saco é que foi deprimente.
    Parabéns ao Yuri pelo talento e não deve se abater com isso, pois o Brasil todo viu que tem talento e vai longe, com ou sem ajuda de programa de auditório.

  20. Amanda maria Peixoto

    Yuri Maizon, estou torcendo para você voltar, acho que pessoas foram escolhidas e não mereciam tanto assim como você.

  21. Wilka

    fiquei muito decepcionada por não terem classificado o Yuri, principalmente com o Daniel.
    O Yuri canta super mega bem, estou arrasada!

  22. ROBERTSON RUAS BAGANHA

    Yuri este em Juara MT, e ganhou o festival de musica sertaneja….
    alem dele, tem seu filho que tem potencial,,,,
    veja o mesmo cantando…

  23. Nine

    Quero parabenizá-lo por sua resenha crítica, apenas ressalvo que moro em Tangará da Serra, e Yuri é conhecido por sua atividade musical. Yuri canta vários estilos musicais, mas a preferência dele é por sertanejo, e o estilo de se vestir é característico do mesmo. Ficamos muito sentidos dele não ter sido classificado

    RESPOSTA DO LÉO – Se o estilo é dele mesmo, tudo bem. Ele é muito talentoso. Foi dos melhores que se apresentou no primeiro episódio. Merecia ter sido classificado. Uma pena 😦

    • maris

      Tb acho que deveria ter sido classificado ,pra mim foi um dos melhores fiquei com raiva até de ele não ter passado,pena mesmo.

      • Irene

        também não me conformo dele não ter sido classificado!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s