Retrospectiva: um ano sem (?) Amy Winehouse

O primeiro aniversário de morte da Amy Winehouse é hoje. Mal dá para acreditar que já se passou um ano. A minha impressão é que ela ainda não conseguiu dormir em paz. A indústria fonográfica investiu tão pesado na sua voz, no seu nome e na sua imagem nos últimos 365 dias, que ela parece ainda estar viva, entre nós – trabalhando mais do que nunca.

Desde que ela morreu em 23 de julho do ano passado (você lembra onde estava quando recebeu a notícia? Eu lembro…), ela não deixou de ser noticiada sequer um mês, pelos mais diferentes motivos. Agora, pelo menos, eles são profissionais, em sua maioria. É a produção póstuma, cada vez mais em alta. Vamos fazer um retrospecto?

AGOSTO DE 2011
Amy Winehouse é capa das maiores revistas mensais de cultura (a maioria ressaltando sua entrada no “clube dos 27”), enquanto a perícia ainda investiga as razões de sua morte. Em homenagem à cantora, Bruno Mars faz um cover de “Valerie” no Video Music Awards (uma gafe, pois embora a música fizesse parte do repertório dela, trata-se de um cover dos The Zutons). Também neste mês, pipocam boatos sobre filmes que contariam a história da cantora – alguns chegam a dizer que Lady Gaga estaria interessada no papel.

SETEMBRO DE 2011
A família da cantora inaugura a Fundação Amy Winehouse no dia do aniversário dela e Tony Bennet lança o clipe de “Body and Soul”, uma das últimas músicas gravadas por ela. A faixa faz parte do CD “Duets II”, que estreou em 1º lugar na Billboard 200 (em parte graças ao sucesso deste primeiro single).

OUTUBRO DE 2011
O laudo médico confirma os rumores sobre a morte da Amy: abstinência alcóolica seguida de overdose acidental. Nenhuma droga foi encontrada no corpo da cantora (chupa, sociedade!). Aproveitando a divulgação do relatório, Mitch Winehouse, o pai, anuncia que lançará uma biografia focada em sua relação com a filha (“Amy Winehouse: My Daughter”).

NOVEMBRO DE 2011
Músicas inéditas da Amy – a maioria faixas demo ou versões inacabadas, escolhidas para o primeiro CD póstumo dela – vazam na Internet um mês antes do lançamento.

DEZEMBRO DE 2011
O aguardado CD póstumo “Lioness: Hidden Treasures”, prometido pela gravadora quando o corpo da Amy mal havia esfriado, é lançado mundialmente e estreia em 5º lugar na Billboard 200 e em 1º lugar na parada britânica, se consagrando como o lançamento mais bem sucedido da cantora. O álbum trazia uma versão de “Garota de Ipanema”. Neste mês, também, o pai da cantora veta o uso de suas músicas em qualquer cinebiografia, inviabilizando os projetos neste sentido.

JANEIRO DE 2012
A afilhada musical da Amy, Dionne Bromfield, vem ao Brasil participar do Summer Soul Festival, evento que trouxe a cantora ao país um ano antes. Em Paris, o estilista Jean Paul Gaultier homenageia Amy Winehouse em desfile de moda.

FEVEREIRO DE 2012
Amy Winehouse ganha um Grammy póstumo pelo dueto com Tony Bennett em “Body and Soul”. Seus pais vão à premiação receber o troféu e lamentam a morte de Whitney Houston, morta na véspera.

MARÇO DE 2012
Através da Fundação Amy Winehouse, a família anuncia o interesse de apadrinhar um novo artista e financiar seus estudos na Sylvia Young Theatre School, onde a cantora estudou no início da carreira.

ABRIL DE 2012
Rumores dizem que Mitch Winehouse se comunica com a filha através de sessões espíritas – prato cheio para a mídia especializada em celebridades. Com mais conteúdo, Patti Smith promete homenagear Amy Winehouse em seu novo CD, com uma música escrita no dia de sua morte (“This Is the Girl”).

MAIO DE 2012
A casa na qual Amy Winehouse morreu é colocada à venda em Londres. No mesmo mês, o produtor Mark Ronson, do álbum “Black to Black”, resolve fazer fofoca e, durante uma entrevista, diz que ela estava chateada com o sucesso da Adele, cantora declaradamente sua fã. “Ela gostava da Adele, mas seu sucesso estava deixando Amy competitiva, incansável”, falou ao jornal The Village Voice. Amy Winehouse, mesmo morta, continuava sendo pauta das colunas de fofoca.

JUNHO DE 2012
O cantor Usher, durante a divulgação do seu CD novo, revela que tinha planos de trabalhar com Amy Winehouse em uma música. No mesmo mês, Mitch Winehouse anuncia que a autobiografia que escreveu trará cartas pessoais escritas pela filha.

JULHO DE 2012
O rapper Nas, que participou do álbum “Lioness: Hidden Treasures”, lança um novo dueto com Amy Winehouse. A música se chama “Cherry Wine” e é disponibilizada na Internet. Aproveitando o gancho, o pai da cantora avisa aos fãs: ainda há muito material inédito, suficiente para mais CDs póstumos.

Anúncios

Responder a Retrospectiva: um ano sem (?) Amy Winehouse

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s