René Bittencourt

Dia desses, conheci no ônibus, um senhorzinho que, ao ceder o meu lugar para ele sentar, começou a puxar papo. De bom humor, tirei o fone do ouvido e alimentei o papo. Ele perguntou se eu tava indo para a escola e expliquei que era para a faculdade que eu ia. Foi a deixa para ele começar a declamar, em alto e bom som, um poema sobre o conhecimento. A princípio, fiquei um pouco sem graça. Estava todo mundo olhando e ele lá… berrando. Mas o poema era bom, notei. Foi o que disse para ele.

Não foi uma boa ideia. Ele começou a declamar outro e, como se fosse possível, ainda mais alto. Mas aí percebi que, agora, ele estava, na verdade, cantando. Tinha todo um ritmo ali. Conhece?, me perguntou. Não, não conheço. Mas é muito bom. Gostei, disse. O senhorzinho me contou que era de sua autoria. Tenho mais de 500 músicas. Isso só na gaveta. Fora as que foram gravadas. E aí ele começou a me dizer um monte de artista que havia gravado músicas suas. Tive sucesso uma época. Não lembro quais os artistas ele falou. Apenas Tonico e Tinoco ficaram marcados na minha memória. Ele cantou, de novo. Dessa vez, a canção dele que eles gravaram.

O artista me disse que era locutor de uma rádio que, também pelo sono, não sou capaz de lembrar qual era. E me disse seu nome. Da mesma forma, não lembro. Apenas o sobrenome me marcou: Bittencourt. Quando ouvir esse some, saiba que a música é minha!, ele disse. Era um nome diferente. Desconfio que eu não tenha entendido na hora e, por isso, não me lembro.

Fiquei curioso e busquei no Google “Bittencourt + Tonico e Tinoco”. Apareceu uma música escrita por Renê Bittencourt. Me soou muito familiar. Ele poderia, sim, ter dito Renê. Já tenho quase certeza, aliás, que foi justamente isso que ele falou: R-e-n-ê. É claro que foi isso. Googleei, dessa vez, o nome dele. Encontrei isso aqui:

René Bittencourt (René Bittencourt Costa), compositor nasceu em Paquetá RJ em 23/12/1917 e faleceu no Rio de Janeiro RJ em 21/11/1979. Durante muitos anos foi animador de shows de circos e teatros, e empresário de artistas. Mais tarde, como jornalista, colaborou em várias revistas e jornais especializados em música.

Faleceu. Fiquei confuso. O meu René tava bem vivo, declamando poesias no ônibus. Será que ele senhor era maluco? Será que ele acha que é René Bittencourt quando, na verdade, não passa de um intérprete de suas poesias? Ou será que era o espírito de René conversando comigo? Vai saber. Loucura, loucura, loucura.

Anúncios

3 respostas para René Bittencourt

  1. René Bittencourt Costa Filho

    Grande amigo

    Tenho grande prazer em ouvir sua história, pois refere-se a um compositor extremamente cuidadoso com sua composições, tendo todas, uma história “real”. Sertaneja, teve como inspiração uma determinada senhora, esposa de um caseiro de um propriedade na Ilha de Paquetá, onde nasceu. Assim, todas as suas músicas originaram-se de fato verídico. Outro exemplo, é a música Cancão da Criança, que teve como inspiração o seu próprio filho, sendo certo, que tal história, é de fácil comprovação.

    Mil abraços, por ter sido contemplado com uma audição particular, e que Deus te abençoe e lhe traga grande felicidade.

    Felicidades
    René Bittencourt Costa Filho

  2. Cleber Coelho

    Leonardo,

    René Bittencourt, foi padrinho de Carmem Bittencourt, amiga minha, que mora na Praça Seca – Jacarepaguá.

    Embora tenha partido há muito tempo, Renné é lembrança constante em nossos encontros dominicais. Carminha conta que o padrinho, como você sabe , entre outras coisas também animava shows de circo. O que você não sabe, e eu vou contar agora, sob pena de levar um puxão de orelha da minha amiga , é que o padrinho nas seções circenses, sorteava bicicletas. Até aí tudo bem, né? Só que a maioria ia parar no quintal da querida afilhada. . E mais não digo. Rsrs.

    Renné Bittencourt, além de ” Sertaneja” , tem outras composições que foram sucesso nas décadas de 1940, 50 e 60 e que ainda hoje permeiam as nossas lembranças.

    Um afetuoso abraço,

    Cleber Coelho
    cleber_coelho@oi.com.br

  3. Renato Berg/JFora-Mg

    Leonardo
    Acredito que este sr. é um fá marcante do René Bitencourt, que faleceu em 1979, tendo a sua música SERTANEJA como um verdadeiro hino sertanejo no Brasil, que jamais será esquecida e de outras tantas obras. , neste seu relato acredito que este sr. incorporou-se a pessoa do Renne como uma forma agradável e satisfatória de continuar sua vida passando uma mensagem boa para todos nos.. voce foi o escolhido boa sorte ! parabens !.

    RESPOSTA DO LÉO – Crise de identidade do senhorzinho…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s