Globo – “Aline” = conservadorismo

Aline vai sair do ar antes do tempo. O último episódio foi exibido nesta quinta-feira (ironicamente, a história girou em torno da morte da personagem principal). Mas ainda há três episódios engavetados. A partir da semana que vem, a Rede Globo vai passar filmes no horário vago. Parece que a decisão “estratégica” do canal não teve a ver com audiência (essa relativamente boa para o horário, girando em torno dos 16 pontos). Segundo a colunista Patrícia Kogut, “uma corrente mais conservadora (da emissora) não gostava mesmo do programa”. O motivo: o namoro a três (mas e Dona Flor e seus dois maridos?).

Como você já sabe, eu acredito na possibilidade de se amar mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Então não quero me repetir e falar sobre isso hoje. Hoje, me limito a comentar o seriado, que eu adoro. Com roteiro de Mauro Wilson e direção de Mauro e Maurício Farias, o programa tem uma marca muito característica: a fotografia.

Outro dia, assisti a uma entrevista de Maria Flor no “Estúdio i”, da Globo News, e ela contou que a série é gravada com apenas uma câmera, como acontece no cinema. Eu não tive a capacidade de perceber isso apenas assistindo ao programa, mas já tinha me dado conta que a linguagem de Aline difere do convencional televisivo (o que também pode causar estranhamento). O programa tem algo mais. É artístico.

O figurino também não fica atrás. É totalmente peculiar, colorido (mas não obviamente colorido, com tons de roxo, rosa e até cinza. Muito São Paulo!), brilhoso, ousado. Essas questões artísticas ajudam a transmitir a mensagem e a temática do texto, também fora dos padrões. Vários pontos para Aline, por fugir do processo industrial de fazer televisão e conseguir fazer um trabalho esteticamente bem feito.

E, além de Maria Flor, que conduz (ou conduzia) com segurança cada episódio, fazendo tão convincentemente uma personagem que me parece não ter nada a ver com ela, os meninos também são ótimos. Pedro Neschling e Bernardo Marinho, que interpretam os namorados de Aline, têm, entre si, uma química fundamental para o programa. A segunda temporada ainda contou com a divertidíssima Maria Luísa Mendonça. O fim da série é um desperdício de talento e criatividade, mas fazer o quê?

10 tweets representativos desse momento:

@IngridGuimaraes Sou contra o fim de Aline..pronto falei. Jà que ninguèm pediu minha opiniāo parabèns a toda a equipe de Aline por um trabalho tão bacana!

@renanmoraes cancelaram aline mas não cancelaram glee

@rosana Vendo Aline pela 1a. vez. É hipster, nee?

@Niiht só continue lendo se for homem………………………………………………………. essa aline da serie tem uma bundinha boa né?!

@vitoriafrate Último episódio de Aline está de dar arrepios! Parabéns! Sucesso absoluto!

@Julia_lawrence Ai, a voz da Maria Flor é levemente irritante #aline

@pedroneschling No ar! #ALINEprasempre

@_akenAng amaria andar igual a aline na rua as vezes

@leomiggiorin É sério isso??? “@mauriciostycer: Globo vai tirar “Aline” do ar pra reapresentar “O Casamento de Romeu e Julieta”, de Bruno Barreto”

@vinnirabbi ate hj eu naum entendi pq a globo insiste em passar a séria aline!! #alinefail

Uma resposta para Globo – “Aline” = conservadorismo

  1. Nico.-

    hay algunos tweets que no tienen que ver con el contenido de la serie. no estoy de acuerdo con la selección de los mismos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s