Clandestinos: sucesso do teatro virou série de Tv

Clandestinos passa todas as quinta-feiras, depois de A Grande Família

Um site convocando atores para uma peça foi publicado em 2008. Até aí, tudo bem. Mas o diretor em questão era nada menos que João Falcão. Conclusão: mais de três mil pessoas, de todo Brasil, se inscreveram. Depois das audições, apenas 30 nomes foram selecionados para uma oficina teatral. Deles, 14 foram escolhidos para a peça. Três anos depois, esses mesmos atores foram parar na televisão, contando as suas histórias. O programa, assim como a peça, é inspirado no que João escutou nos testes. É a magia de Clandestinos – O Sonho Começou.

Alejandro Claveux, por exemplo, imitou um macaco no seu teste. A cena entrou no roteiro do programa e fez o Brasil inteiro rir. Embora não seja conhecido pelo público, a história dele com a arte começou bem antes. Em 2007, ele veio de Goiânia para o Rio de Janeiro para apresentar outra peça – Escola de Mulheres – e não voltou mais para casa. “Não sei o que deu na minha cabeça. Achei que a hora era aquela. E era”, diz.

Adelaide de Castro, que emocionou as pessoas no primeiro capítulo da série, também não é carioca. Ela, que já havia feito o filme Chico Xavier, se mudou de Três Corações, interior de Minas Gerais, para o Rio especialmente pela peça. Foi uma loucura.

O protagonista do programa, Fábio Enriquez, não teve uma trajetória mais fácil pelo fato de já viver no Rio de Janeiro anteriormente. Para conseguir um papel em outra peça, ele já tirou a calça e a vestiu na cabeça. “Foi o exercício da gueixa! Quem já fez curso de palhaço sabe como é”, explica. Ele, Adelaide e Alejandro vivem, agora, depois de muito sufoco e trabalho, um momento de fama. “As pessoas estão indo ver a peça por causa do seriado e esperam a gente no final para conversar e tirar fotos”, conta Adelaide.

Fábio Enriquez já fez o filme High School Musical Brasil, mas ficou conhecido mesmo foi por Clandestino

PLUS TV – Como vocês chegaram à peça Clandestinos?

FÁBIO ENRIQUEZ – Uma amiga da faculdade me avisou do site na internet. Eu já era ator profissional. Minha formação foi toda com companhias teatrais. Aprendi a ser ator na prática, quebrando a cara e errando. Mas comecei a fazer teatro tardiamente.

ALEJANDRO CLAVEUX – Já morava no Rio quando me inscrevi para o teste. Fui convocado, larguei o trabalho de produtor no GNT e fui fazer as oficinas para os Clandestinos. 14 foram aprovados e eu era um deles.

ADELAIDE DE CASTRO – O diretor do projeto social que fazia parte, em Três Corações, Minas Gerais, me informou que João Falcão havia aberto a seleção para o elenco da sua nova peça através de um site. Então me inscrevi e fui selecionada para fazer o teste aqui no Rio.

PLUS TV – Quanto os personagens tem de vocês?

FÁBIO – Muito, somos clandestinos e homens de teatro, temos a mente caótica e gostamos de gente!

ADELAIDE – Ela é sonhadora e não hesita diante das dificuldades. É deslumbrada com o Rio e acredita que tudo só acontece aqui. Toca sax, estudou em projeto social, tem muitos irmãos e sua origem é humilde. Essas características também são minhas. O que há de diferente é a história. O que acontece na peça e no seriado não aconteceu exatamente comigo.

ALEJANDRO – Ele tem o meu corpo e minha verdade. São vários personagens em um só. O macaco foi o meu teste real para a peça. Já fiz bicos como modelo, e quando criança era um pouco gago. João aproveitou essas semelhanças e criou esses personagens e outros completamente diferentes de mim.

PLUS TV – Como foi sair dos palcos pros estúdios de televisão?

ALEJANDRO – No texto da peça, há a fala: “Uma peça que você pretende transformar em uma série de Tv”, então a gente acreditava que isso pudesse acontecer.

FÁBIO – Imaginávamos, mas era algo muito distante!

ALEJANDRO – Mudar um pouco a cara da Tv é muito gratificante. Mostrar um formato novo de programa, com roteiros incríveis, músicas originais e um elenco completamente inédito é um marco. Quantas peças teríamos que fazer para ter o publico que a Tv nos dá em um único episódio? A Tv é realmente a maior platéia que um artista pode ter. Fazer Tv com qualidade é maravilhoso.

FÁBIO – Maravilhoso. Foi um curso intensivo de interpretação e ajudou muito no espetáculo!

ADELAIDE – Foi uma experiência incrível. Aprendi muito. Nunca tinha feito televisão e estrear com um projeto de tamanha qualidade é uma grande alegria. A equipe foi extramente cuidadosa e o público tem reagido muito bem ao seriado.

Adelaide de Castro é a menina que veio de Três Corações, "a terra do Pelé"

PLUS TV – É o sonho de todo ator de teatro chegar à televisão?

FÁBIO – Não. O teatro é uma disciplina completa e separada da linguagem televisiva. Há atores que não se interessam por televisão. Eu me interessei, foi muito transformadora a experiência de trabalhar com a câmera. Mas a televisão não é, para todos os atores, um “lugar a se chegar” e sim mais uma linguagem artística, com a vantagem de estar presente na sala de todas as famílias brasileiras.

ADELAIDE – Temos grandes atores de teatro que nunca trabalharam em TV. Particularmente, desejo conhecer diversas formas de expressar a minha arte. E ver um projeto de teatro se realizando na televisão é uma honra, é mostrar nossa arte pra mais gente ainda.

PLUS TV – Clandestinos fala “sobre esses moços e moças que sonham nessa cidade esse sonho de ser artista”. Hoje em dia, todo mundo quer ser artista?

ALEJANDRO – Acho que não. As pessoas sabem que ser artista não é tão fácil assim, que tem no mínimo que pensar. Acho que a maioria quer a fama mais do que ser artista. O Youtube é isso: hoje todo mundo tem seus segundos de fama, todo mundo pode. Ninguém quer mais ficar na platéia.

FÁBIO – Acho que precisamos separar o conceito de artista da idéia que as pessoas tem sobre este termo aqui no Brasil. Artista podem ser poetas, músicos, circenses, artistas plásticos, bailarinos, cineastas, encenadores, performers e também atores. O fato é que a tv tem um glamour e a fama, que atrai as pessoas. Acho que as pessoas, de um modo geral, querem fama. Mas de qualquer forma, a carreira de ator se tornou mais concorrida sim. Nosso projeto mostra isso.

ADELAIDE – Todo mundo que ser feliz na profissão que escolher. Eu escolhi ser artista e estou buscando a minha realização nesta carreira.

Alejandro faz um gago, um gay e até um macaco em Clandestinos

PLUS TV – E vale tudo para alcançar a fama?

ALEJANDRO – Não mesmo. Somos um companhia de teatro, artistas com o pé no chão. Ralamos muito até chegar na Tv. O barato é contar a história e fazer parte dela. Se isso traz a fama, ok. Vai ajudar a ter mais público no teatro.

FÁBIO – Tudo é um preço muito caro e a fama não merece este valor!

ADELAIDE – A fama é uma conseqüência do seu trabalho, acredito. Um projeto tem como princípio ser bem sucedido e agradar ao público, que é pra quem fazemos arte.

Por Leonardo Torres
Publicado no Portal Plus Tv
http://portalplustv.com.br/celebridades/clandestinos-sucesso-do-teatro-virou-serie-de-tv/

Anúncios

Uma resposta para Clandestinos: sucesso do teatro virou série de Tv

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s