No backstage do Lulu, só não falei com ele

Todo mundo sabe que adoro as músicas do Lulu Santos. São letras que me entendem, me dão conselhos e esperança de um futuro melhor – tudo o que eu preciso. Há mais ou menos um ano atrás, fui ao meu primeiro show dele e fiquei fascinado com tudo. É uma energia muuuuito boa!

Terminado o show, Raffa, minha amiga, me perguntou: “Quer ir falar com Lulu?” numa vibe macaco-quer-banana. Fomos. Chegamos lá no backstage e tava cheio de gente com o mesmo objetivo que a gente: trocar umas palavras com ‘o cara’. Não demorou muito e ele apareceu, todo deslumbrante com suas meias coloridas. Meu celular tocou. Era o Tio Edson, o taxista fofo que eu tinha chamado pra me buscar dizendo que havia chegado. “Em cinco minutinhos estou aí”, eu disse. Afinal, não tinha o que demorar. Lulu estava na minha frente, logo eu diria que ele era incrível, que suas músicas eram incríveis, que o show tinha sido incrível, tiraria uma foto incrível e partiria. O babado era certo.

Lulu começou a falar com as pessoas, atendendo uma por uma e gastando um bocado de tempo com cada uma delas. Pela lógica da coisa, eu e minhas amigas seríamos os últimos com quem ele falaria. Ok, isso poderia demorar um pouco. Mais do que eu havia imaginado. O tempo passava e nada de Lulu pra gente. Tio Edson ligou de novo. Falei: “Já tô indo! Calma aí! Só mais cinco minutinhos!” Tio Edson era um amor, ele ia entender.

E aí, chegou a nossa vez. Finalmente, falaríamos com Lulu. Ele terminou de falar com as pessoas que estavam na nossa frente, olhou pra um lado, olhou pro outro, olhou pra gente, cagou pra nossa existência e saiu de perto. Ih, gente, climão. O que está acontecendo? Ri. Fomos atrás. Ele agora conversava com o pessoal da produção. Eu não ia embora sem ter falado com ele. No way!

Eu e Raffa: rejeitados pelo Lulu

E passamos quarento minutos assim. Toda hora que balbuciávamos um “Lu..”, ele saía de perto ou virava a cara. Não nos dava a menor abertura. Estava quase levantando o dedo pra ver se podia falar, como na escola. Mas isso também não adiantaria. Lulu, então, resolveu se trancar no camarim, com dois seguranças na frente. Climão. Desisto. Mando torpedo pro Tio Edson:

Demorou um pouquinho, mas agora eu tô saindo.

E saí. Lá na rua, nada de Tio Edson. Olhei pra um lado, olhei pro outro, e nada. Liguei. Ele não atendeu. Liguei de novo. Nada. Liguei de novo. Desligado. Ih, gente, climão. Fiquei sem Lulu e sem táxi. No dia seguinte, mandei torpedos pro Tio Edson pedindo desculpas e culpando o Lulu Santos por tudo. Não adiantou. Nunca mais o vi. Aconselho também a quem pegar seu táxi, não falar que é meu amigo.

Anúncios

2 respostas para No backstage do Lulu, só não falei com ele

  1. Thatiana

    Já ri né. Tio Edson foi desses deixando a gente lá fora sozinhos. Esse dia foi comédia. ps: era o final da favorita também que lembro! rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s