Primeiro dia de aula

Saudade de quando essa calça não ficava apertada

Quando estava passando pro Ensino Médio, minha mãe me obrigou a fazer as provas de seleção para a escola técnica federal aqui do RJ, o CEFET. “Você tem que ter uma profissão blablablá isso de técnico tá em alta blablablá”. Bati o pé, mas não adiantou nada. Na época, escolhi o curso de Administração praticamente no duni-duni-tê. Eu não sabia o que significavam nenhum daqueles cursos e não gostava de nenhum deles de antemão. Eu tinha só 15 anos e minha mãe achava que já era a hora de pensar no futuro.

Contra a minha vontade, comecei a fazer o curso. Tinha prometido pra mim mesmo que não ia falar com ninguém e ter problemas de entrosamento. Assim, mais cedo ou mais tarde, minha mãe deixaria eu abandonar o curso.

Na primeira aula, o professor resolveu fazer aquela sessão chata de apresentações. Na minha vez, foi mais ou menos assim:

– Porque você quis fazer o curso?
– Eu não quis. Tô aqui porque a minha mãe me obrigou.
– Hmm.. E porque escolheu Administração?
– Achei o menos pior.

É, já cheguei mostrando que não tava pra brincadeira. Depois de causar o meu climão, passei a reparar nos outros alunos. Só pra ver com quem eu teria de lidar. Logo percebi que não seria difícil ignorar a todos. Não sentia vontade de me aproximar de nenhum deles. Havia uma gorda simpática (porque é quase redundante dizer isso?), dois irmãos gêmeos (odeio gêmeos. nunca sei quem é quem! até hoje não sei reconhecer as Olsen), uma menina magra de anorexia, uma com jeito e expressões da coabe, uma que eu já conhecia a fama de fofoqueira, uma estrábica, uma extremamente alta e uma que, desconhecia-se os motivos, mas só falava aos berros. O resto passava despercebido. Bem, ignorar todos eles seria fácil.

Fácil pra você. Nunca foi fácil pra mim ficar calado. Dentro de pouco tempo, eu já adorava a gorda simpática, era unha-e-carne com a fofoqueira, corrigia e ria dos erros da menina da coabe, e berrava mais alto que aquela outra para conseguir ser escutado. Quebrei a cara. E a estrábica? Bem, ela recebeu o apelito de Magé.

Porque um olho tava no Rio e o outro tava lá é Magé.
(é, piada de péssimo gosto, eu sei.)
Essa época de CEFET já acabou. Pergunta se eu fiz o curso todo. Claro que fiz. E passei com boas notas. Pergunta se eu tenho o diploma. Claro que não. Não fiz o estágio necessário pra me formar. Aturei a menina gritando à toa. (Sh)it happens…
Anúncios

3 respostas para Primeiro dia de aula

  1. Renato

    Putz você mandou o link de seu blog por lastfm.Nossa, quem diria que seria um carioca e estudante de colégio técino,só que eu fiz cefet química.:Dhahaha A gorda simpática sempre existe e sempre viramos amigos dela ¬¬"

  2. organolépticos

    Esse blog eh minha terapia, valew por postar Leo Mto bomm (C. Rubio)

  3. E.

    bah cara tenho uma historia meio parecida pois eu tbm comecei curso tecnico no ensino medio…foi uma bosta mas jah passou…kkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s